5 Dicas Para Manteres O Teu Relacionamento Amoroso Saudável – Durante o distanciamento social

Manter um relacionamento amoroso em situações de distanciamento ou isolamento social acarreta uma série de desafios, quer para os casais que já coabitam (e entre estes, os que têm e os que não têm filhos ou outras pessoas ao seu cuidado), quer para os casais que estão afastados por imposição relativa à contenção da infeção pelo novo coronavírus. Estes últimos, pela distância a que estão sujeitos, vivem agora o desafio de manter a intimidade com manifestações virtuais e à distância do seu amor e sexualidade, com todos os riscos inerentes a estas práticas (podes ler mais sobre sexting aqui).

Por outro lado, temos lido, um pouco por toda a parte, que os casais em situação de coabitação podem enfrentar maiores períodos e situações de stress, que vão desde as pequenas tensões diárias, à distribuição de tarefas domésticas ou de cuidados a menores ou idosos e/ou outras pessoas em situação de dependência, à gestão da própria vivência do sexo. Estar 24 horas por dia no mesmo espaço físico pode ser desgastante, exigente e propiciar situações de violência doméstica.

Os meios de comunicação social vão-nos dando conta do aumento de casos de divórcios e de violência doméstica na China, em virtude do isolamento social imposto pelo risco de infeção. Por outro lado, cá por Portugal, temos a CIG (Comissão para a Cidadania e a Igualdade de Género) a emitir recomendações e a disponibilizar novas linhas de atendimento para as situações de violência doméstica que surjam nesta altura (podes encontrar todas essas informações aqui https://www.cig.gov.pt/2020/04/covid-19-seguranca-isolamento/) e a OPP (Ordem dos Psicólogos Portugueses), que tem feito um trabalho incansável e notável no lançamento de orientações para diversos públicos e situações (podes consultar tudo aqui https://www.ordemdospsicologos.pt/pt). Se estás a viver uma situação de violência doméstica, procura ajuda especializada, cujos contactos encontras nos links acima. Se conheces alguém que esteja a passar por isso, disponibiliza esses contactos. Além destes, lembro-te que há também a possibilidade de contactares a Linha de Aconselhamento Psicológico para utentes e profissionais de saúde da Linha SNS24.

Se não tens a certeza se estás a viver um relacionamento saudável ou violento, podes ler aqui os sinais a que deves prestar atenção.

Então, esta semana, gostaria de te deixar algumas sugestões para que possas manter o teu relacionamento amoroso saudável durante o distanciamento social:

1 – Mantém o contacto contigo

Isto pode parecer-te estranho, mas pode estar a acontecer que estejas tão absorvido/a pelas rotinas e afazeres domésticos e educativos (caso tenhas crianças ou adolescentes em casa), que não tens disponibilizado tempo para estares contigo. Esse tempo só teu, para fazer algo que te traz vitalidade, é fundamental para te “alimentar” emocionalmente, e irá ajudar-te imenso a manter a calma e a paciência em alturas do dia mais desafiantes. Manter contacto contigo não é ficares a fazer scroll nas redes sociais, numa espécie de “coma” em que tentas não pensar em nada. Ao fazeres isto, estás apenas a desconectar-te cada vez mais de ti, e com isso provavelmente estarás mais desconetado/a dos outros com quem te relacionas. Então manter o contacto contigo implica estares consciente do que estás a precisar nesse momento. Nem sempre vais poder satisfazer os teus desejos, mas podes conectar-te e reconhecer a tua necessidade e fazer algo compassivo por ti mesmo/a. Podes ler um livro, meditar, dançar, cantar, fazer exercício físico, dormir ou outra coisa que venha contribuir para a tua alegria e vitalidade. Esta é também uma oportunidade para começares a praticar Mindfulness – mesmo que não queiras meditar, há outras práticas simples que podes fazer – lê mais aqui.

2- Mantém o contacto com o mundo fora de casa

Mesmo em situação de quarentena, isolamento ou mesmo distanciamento social, esta parte é fundamental. Reserva um momento do teu dia para telefonares, escreveres ou fazeres uma videochamada com os teus colegas, amigos e familiares. Este hábito vai combater a sensação de solidão e pode até ser uma fonte importante de sentimento de união, cooperação e vitalidade. Descobre se há alguma coisa que possas fazer por alguém – ir ao pão para o teu vizinho idoso, por exemplo. A generosidade e compaixão serão sempre bons aliados para combater a solidão e o isolamento. Podes ler mais sobre este assunto aqui.

3 – Mantém um tempo para a tua relação

Se estás no mesmo espaço com a pessoa com quem tens um relacionamento amoroso, pode parecer-te que esta parte era dispensável, já que provavelmente nunca estiveste tanto tempo com o/a teu/tua parceiro/a, verdade? Contudo, estares no mesmo espaço físico não é sinónimo de que te estás a relacionar saudavelmente. Se se limitarem a estar no mesmo espaço, mas todas as vossas interações se limitarem aos afazeres e tarefas, se estão expostos/as a crianças ou outros familiares o tempo todo, é muito provável que as tensões entre o casal comecem a aumentar, simplesmente porque a relação não está a ser alimentada. Um relacionamento amoroso necessita de momentos a sós, não só, mas também para desenvolver a sua vida sexual e íntima, e para que o casal possa comunicar. E comunicar implica falares com o/a teu companheiro/a do que estás a sentir, a pensar e a precisar. Sem este espaço, arriscas-te a achar que o outro deveria simplesmente “saber” o que precisas e queres. Entras no mundo das expectativas e ficas à espera que o outro “adivinhe” o que te está a passar pela cabeça, corpo e alma. O mesmo em relação à outra pessoa: como podes tu fazer a tua parte no relacionamento, se desconheces as necessidades, pensamentos e sentimentos do outro lado? E claro, passar tempo juntos sem fazer nada também é importante! Relativamente ao amor e sexo em tempos de  Covid-19, podes ler aqui algumas sugestões.

4 – Reservem um tempo social e familiar para viverem em conjunto

E claro, também faz parte terem na vossa vida de casal contacto com outros amigos ou familiares, pelo que reservarem um espaço para este convívio (virtual ou telefónico) em conjunto é fundamental. Assim como reservar tempo para atividades lúdicas, de lazer, relaxamento ou exercício físico em família. Ou até mesmo fazer crescer esses dotes culinários para propiciar a todos uma alimentação mais saudável e diversificada, que não tens oportunidade de fazer noutras ocasiões.

5 – Mantenham as expectativas realistas em relação ao trabalho

Caso estejam em regime de teletrabalho, é natural que surja a frustração de não estar a conseguir dar conta do mesmo ritmo ou produtividade. Como casal, apoiem-se mutuamente, combinando horários e gerindo as tarefas domésticas e/ou familiares por ambos os elementos do casal, para que ambos possam manter a sua vida profissional, embora com menos produtividade, que é algo a aceitar como parte das limitações que atualmente vivemos.

Provavelmente, não te falei de tudo. Se tiveres outra questão, deixa aqui nos comentários. E vai passando por cá. Todas as semanas vou falar-te de assuntos que te podem interessar.

Até breve, boa semana!

Newsletter M'BE

Subscreva já a nossa Newsletter e fique a par de todos os recursos e novidades M’BE.

Fundadora M'BE Mindful Butterfly Effect
Psicóloga Clínica | Terapeuta Sexual |Formadora | Facilitadora de
Parentalidade Positiva e Consciente  
www.mindfulbe.pt
sonia.araujo@mindfulbe.pt

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *