Sexting. O que é e quais as suas consequências?

O que é o Sexting?

No dia 14 de Fevereiro comemora-se o Dia de S. Valentim, mais conhecido em Portugal por Dia dos Namorados (e das namoradas, acrescentaria eu). Neste dia, é habitual fazer-se um programa diferente com a cara-metade, e o romance e o erotismo andam à solta. E por isso faz todo o sentido falarmos um pouco sobre o sexting.

Em inglês, o termo “sexting” deriva da junção das palavras sex (sexo) e texting (envio de mensagens). Assim, o sexting consiste no envio de mensagens de conteúdo erótico, sensual e/ou sexual explícito, seja por texto, imagem ou vídeo, através de telemóveis, smartphones, webcams, chats, email, etc.

O sexting sempre existiu, mas era diferente enviar uma carta erótica ou entregar uma foto “mais picante” à cara-metade quando a internet não existia. Hoje em dia, a rapidez e facilidade em tornar públicas tais trocas íntimas fazem do sexting uma prática bastante perigosa. E por falar em internet, também se comemora no dia 11 de Fevereiro o Dia da Internet Segura. Por isso, agora é o momento ideal para falar de sexting contigo. Até porque é sabido que o sexting é uma prática comum, quer entre adultos, quer entre adolescentes. Agora diz-me: quantas pessoas conheces que ainda escrevam cartas à mão à cara-metade?

Quais os motivos que levam ao sexting?

Embora o objetivo da troca destas mensagens possa ser estimular a sexualidade do casal, nem sempre assim é. De facto, o sexting pode acontecer por vários motivos e em vários contextos:

– Por exemplo, pode acontecer fora de uma relação amorosa, com o intuito de seduzir ou chamar a atenção de quem se quer conquistar;

– Pode acontecer por pressão do/a parceiro/a, num contexto de manipulação psicológica, sendo exigido como uma espécie de “prova de amor”, o que acontece dentro de uma relação abusiva, não saudável;

– Pode ser também como um “presente” que se envia ao/à parceiro/a, dentro de um relacionamento amoroso;

– Pode funcionar ainda como auto erotismo de quem envia a mensagem, para incrementar o desejo sexual;

– Pode ser uma resposta a uma mensagem similar enviada, para corresponder às expectativas da outra pessoa, por exemplo, num contexto de chat;

– Pode ser uma questão de vingança pessoal, enviando mensagens deste teor a outras pessoas ou tornando-as públicas em redes sociais, por exemplo.

– Pode ainda acontecer por engano, enviando para a pessoa errada, sem intenção de o fazer.

– Pode ainda ser por uma questão de pressão do grupo de pares/amigos, especialmente durante a adolescência, numa tentativa de fazer parte do grupo ou de subir em “popularidade”, para tentar passar uma imagem divertida e arrojada.

Que consequências pode ter o sexting?

Na era em que vivemos, o pior que pode acontecer é as imagens, vídeos ou mensagens textuais irem parar à internet. Quando isso acontece, perde-se todo o controlo sobre os mesmos e corre-se o risco de estes conteúdos irem parar às mãos erradas.

Quando os relacionamentos amorosos terminam, nem sempre terminam pacificamente. Um conflito pode levar a que as pessoas divulguem estas mensagens, como forma de retaliação, vingança ou chantagem.

Ou mesmo num relacionamento saudável, estas mensagens podem ser enviadas por engano a outra pessoa. Ou podem ser visualizadas sem autorização por alguém que aceda ou controle os dispositivos onde elas se encontram armazenadas.

Ou seja, pode correr muito mal, acabando por ser usado para chantagear ou para difamar, através de cyberbullying (violência praticada através da internet ou de outras tecnologias relacionadas) ou mesmo sextorsion (prática de extorsão a partir da ameaça de exposição de supostas fotos ou vídeos sexuais das vítimas na Internet).

As consequências podem ser desastrosas, levando ao isolamento social, vergonha, depressão, ansiedade, stress pós-traumático e em caso mais graves, suicídio.

Conheces o caso Amanda Todd? Amanda era uma jovem adolescente canadense, que foi vítima de sextorsion. Amanda decidiu gravou um vídeo disponível no youtube onde conta a sua história, e por isso o seu caso se tornou viral, após se ter suicidado. Mas o seu caso não é único, nem raro.

O sexting pode levar assim à violência sexual. E esta tem várias consequências negativas, entre as quais:

– A nível da saúde sexual e reprodutiva, pode levar a dificuldades ou mesmo a disfunções sexuais

– A nível psicológico, pode levar a culpa, depressão, ansiedade, problemas de concentração, medo, baixa autoestima, perturbações do comportamento alimentar, insónia, comportamentos autolesivos, ideação suicida, stress pós-traumático

– A nível social e afetivo pode conduzir à incapacidade de distinguir um comportamento de intimidade e de afeto de um abusivo, bem como a dificuldades em ter novos relacionamentos, ou ainda dificuldades em manter limites pessoais e apropriados e a modificação das atitudes nos relacionamentos interpessoais.

O sexting não é crime, mas pode conduzir à prática de crimes, puníveis por lei. Se necessário, procura ajuda na polícia ou em instituições que trabalhem com vítimas de crime, como a APAV, por exemplo.

Vai passando por cá. Vou falar-te mais sobre este e outros assuntos que te podem interessar.

Até breve, boa semana!

Newsletter M'BE

Subscreva já a nossa Newsletter e fique a par de todos os recursos e novidades M’BE.

    blank
    Fundadora M'BE Mindful Butterfly Effect
    Psicóloga Clínica | Terapeuta Sexual |Formadora | Facilitadora de
    Parentalidade Positiva e Consciente  
    www.mindfulbe.pt
    sonia.araujo@mindfulbe.pt

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *